Diante da escalada de ataques à Educação Pública e do desmonte das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes), as e os docentes realizaram, entre 23 e 27 de maio, a Semana de Lutas do Setor das Iees/Imes do ANDES-SN, com o mote “Quem conhece, defende!”. Reconhecida pelo seu contexto histórico, a semana de lutas ocorre, anualmente, no mês de maio, quando as assembleias legislativas votam suas Leis Orçamentárias Anuais.

“Esse é o momento de discutirmos o orçamento e financiamento das Estaduais e Municipais. Sabemos que em São Paulo temos forte mobilização. No Paraná também estamos fazendo essa discussão, além da luta pelo reajuste na data-base dos servidores estaduais, que estão há 5 anos sem reposição da inflação e perda salarial já passa dos 35%. Temos também o estado da Bahia com muita força, o Ceará discutindo a questão da abertura de concurso público sem Dedicação Exclusiva, entre outras lutas. As pautas são bem extensas, mas em comum nós temos os ataques com um projeto de desinvestimento muito alto dos governos estaduais. E também é o caso da nossa seção sindical [da Imes] em Gurupi, que também está sofrendo muito”, explicou Edmilson da Silva, 1º vice-presidente da Regional Sul do ANDES-SN e da coordenação do Setor das Iees/Imes. 

De acordo com o diretor do Sindicato Nacional, o Setor das Estaduais e Municipais tem o desafio que é o da diversidade, uma vez que agrega seções sindicais de várias unidades federativas, diferentes planos de carreira, financiamento, estrutura e a grande maioria multicampi, o que também traz as especificidades de cada local. No entanto, apesar das diferenças, Edmilson destaca que os problemas e as pautas de luta estão cada vez mais semelhantes.

“Infelizmente, se tornam cada vez mais comuns os ataques como o desinvestimento, a não reposição da inflação e não abertura de concurso público. Estamos percebendo um aumento cada vez maior da quantidade de professoras e professores temporários, o que prejudica demais, tanto no tocante da construção de uma carreira sólida quanto também pela descontinuidade de projetos importantes de pesquisa e extensão”, comenta. 

Para fazer o enfrentamento a essa realidade e também pautar junto à comunidade acadêmica e à população em geral a importância das Iees e Imes para sociedade, foram realizadas diversas atividades durante a semana. Também ocorreram ações nacionais como debates pela internet, divulgação de um podcast sobre Previdência social nos estados e o lançamento da Campanha “Universidades Estaduais e Municipais: quem conhece, defende!”, que conta com a personagem Preta Mari para dialogar sobre a relevância para a Educação pública e papel social dessas instituições. Tanto a Semana de Lutas quanto a Campanha são deliberações do 40º Congresso do ANDES-SN, ocorrido este ano em Porto Alegre (RS). 

“A nossa avaliação é muito boa, porque percebemos que a campanha está tendo bastante retorno. As seções sindicais se envolveram na semana de lutas e na campanha das Estaduais e Municipais. A personagem Preta Mari foi muito bem recebida e, até o momento, tivemos um feedback muito bom da campanha, que continua nesse mês de junho”, contou o coordenador do Setor das Iees/Imes.

Ações

No dia 23, foi realizada uma transmissão ao vivo da abertura da Semana e o lançamento da Campanha em Defesa das Iees/Imes. A live teve como tema “Defender as Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior públicas é fortalecer a Educação Pública de qualidade para todas e todos”, e contou com a participação de representantes de diversas seções sindicais. Assista aqui.

A semana ainda contou com o lançamento de podcast sobre a Financeirização nos Regimes Próprios de Previdência Social nos estados, com a participação da professora Sara Granemann (UFRJ). Escute aqui.

Ocorreu também, no dia 26, o painel virtual sobre as “As lutas atuais do Setor das Iees/Imes”, com a participação de representantes das seções sindicais de universidades estaduais de vários estados como Ceará, Bahia, Rio Grande do Norte, Piauí, Minas Gerais, Paraná. Nesses e em vários outros estados, como Tocantins, Goiás, Maranhão, Pará, São Paulo, foram realizadas atividades locais. Assista aqui o painel, que foi transmitido pelo Instagram.

Campanha “Quem conhece, defende!”

A campanha “Universidades Estaduais e Municipais: quem conhece, defende!” foi lançada no dia 23 de maio, com a apresentação da personagem Preta Mari, uma jornalista, formada em universidade social. Entre os meses de maio e junho, serão lançados vários vídeos no qual a Preta Maria apresentará as pautas de luta do setor e também a importância das universidades estaduais e municipais para a sociedade brasileira. 

Confira os vídeos já lançados:

Cota não é esmola. É reparação histórica!

Como motivo de muito orgulho, há 20 anos, as universidades Estaduais e Municipais foram pioneiras nas ações de inclusão ao adotarem as políticas de cotas. Com isso, as portas para as e os indígenas, pessoas com deficiência, pretos e pardos, foram abertas e essas pessoas puderam reivindicar e ocupar os espaços, criando um ambiente educacional mais plural e democrático para todas e todos.

 

Comentários

comentários