Eleição para a Diretoria do ANDES – SN

Nos dias 11 e 12 haverá eleição para a Diretoria do ANDES – SN.

A urna será instalada na sede da SESDUEM, na Biblioteca Central da UEM, sala 07.

Apenas uma chapa concorre à eleição: Chapa 1 – ANDES AUTÔNOMA E DEMOCRÁTICA

A Diretoria da SESDUEM acredita que a participação dos docentes fortalece o sindicato. Por esta razão convida todos os sindicalizados para participarem da eleição.

 

NOMINATA CHAPA ANDES AUTONOMA E DEMOCRÁTICA

GESTÃO 2010/2012

Cargo Nome
Presidente Marina Barbosa Pinto (ADUFF)
1º Vice-Presidente Luiz Henrique Schuch (ADUFPel)
2º Vice-Presidente Luis Mauro Sampaio Magalhães (ADUR-RJ)
3º Vice-Presidente Osvaldo Luis Angel Coggiola (ADUSP)
   
Secretário Geral Márcio Antônio de Oliveira (APESJF)
1ª Secretária Zuleide Fernandes de Queiroz (SINDURCA)
2º Secretário Cesar Augusto Minto (ADUSP)
3º Secretário Milton Vieira do Prado Junior (ADUNESP)
   
1º Tesoureiro Helvio Alexandre Mariano (ADUNICENTRO)
2º Tesoureiro Almir Serra Martins Menezes Filho (ADURN)
3ª Tesoureira Maria Suely Soares (APUFPR)
   
Regional Norte I  
1º Vice-Presidente Jorge Luiz Coimbra de Oliveira (ADUNIR)
2º Vice-Presidente Francisco Jacob Paiva da Silva (ADUA)
1ª Secretária Ediraci Guedes Barros da Silveira (ADUA)
2º Secretário Ricardo Lima Serudo (SIND-UEA)
1º Tesoureiro Amecy Gonçalves Bentes de Souza (ADUA)
2ª Tesoureira Ana Fanny Benzi de Oliveira (ADUNIR)
   
Regional Norte II  
1ª Vice-Presidente Sandra Bernadete da Silva Moreira (ADUFPA)
2º Vice-Presidente Alexandre Adalberto Pereira (SINDUFAP)
1º Secretário Arley José Silveira da Costa (SINDUFAP)
2ª Secretária Maria da Conceição Rosa Cabral (ADUFPA)
1º Tesoureiro José Queiroz Carneiro (ADUFPA)
2º Tesoureiro Roberto Cezar Lobo da Costa (ADUFRA)
   
Regional Nordeste I  
1º Vice-Presidente Marcone Antonio Dutra (APRUMA)
2º Vice-Presidente Geraldo do Nascimento Carvalho (ADUFPI)
1ª Secretária Raquel Dias Araujo (SINDUECE)
2º Secretário Daniel Vasconcelos Solon (ADCESP)
1º Tesoureiro Franquiberto dos Santos Pessoa (ADUFC)
2ª Tesoureira Lucelma Silva Braga (APRUMA)
   
Regional Nordeste II  
1º Vice-Presidente Josevaldo Pessoa da Cunha (ADUFCG)
2º Vice-Presidente João Wanderley Rodrigues Pereira (ADURN)
1º Secretário Marcos Aurelio Montenegro Batista (ADUFPB)
2º Secretário Emerson Azevedo de Araujo (ADUFEPE)
1º Tesoureiro Levy Paes Barreto (ADUFERPE)
2º Tesoureiro Geraldo Marques Carneiro (ADUERN)
   
Regional Nordeste III  
1ª Vice-Presidente Maria do Socorro Soares Ferreira (ADUNEB)
2º Vice-Presidente Alexandre Galvão Carvalho (ADUSB)
1ª Secretária Maslowa Islanowa Cavalcanti Freitas (ADUFS-BA)
2º Secretário Maximiniano Antonio Conceição Filho (ADUCSAL)
1º Tesoureiro Neilson Santos Meneses (ADUFS)
2º Tesoureiro Menandro Celso de Castro Ramos (APUB)
   
   
Regional Leste  
1º Vice-Presidente Luis Antonio Rosa Seixas (ADUFOP)
2º Vice-Presidente Ricardo Roberto Behr (ADUFES)
1ª Secretária Maria Alice Vieira (ADUFU)
2º Secretário Antonio Maria Pereira de Resende (ADUFLA)
1ª Tesoureira Valeria Maria Peçanha Valerio Gussen (ADFUNREI)
2º Tesoureiro Francisco Mauri de Carvalho Freitas (ADUFES)
   
Regional Rio de Janeiro  
1º Vice-Presidente Frederico Jose Falcão (ADUR-RJ)
2ª Vice-Presidente Sonia Lucio Rodrigues de Lima (ADUFF)
1ª Secretária Elizabeth Carla Vasconcelos Barbosa (ADUFF)
2º Secretário Wilson Paes de Macedo (ASDUERJ)
1ª Tesoureira Maria Luiza Testa Tambellini (ASDUERJ)
2º Tesoureiro Jose Glauco Ribeiro Tostes (SESDUENF)
   
   
Regional Pantanal  
1º Vice-Presidente Carlos Roberto Sanches (ADUFMAT)
2ª Vice-Presidente Maria José Martinelli Silva Calixto (ADUFDOURADOS)
1ª Secretária Josete Maria Cangussu Ribeiro (ADUNEMAT)
2ª Secretária Marina Evaristo Wenceslau (ADUEMS)
1º Tesoureiro Pedro de Assis e Silva Filho (ADUFMAT)
2º Tesoureiro Vitor Wagner Neto de Oliveira (ADLESTE)
   
Regional Planalto  
1º Vice-Presidente Mauricio Alves da Silva (SESDUFT)
2º Vice-Presidente Wilson Mozena Leandro (ADUFG)
1º Secretário Joel Moises Silva Pinto (APUG)
2ª Secretária Helvia Leite Cruz (ADUnB)
1º Tesoureiro Cláudio Lopes Maia (ADCAC)
2º Tesoureiro Enoch Jose da Mata (ADUFG)
   
Regional São Paulo  
1º Vice-Presidente Francisco Miraglia Neto (ADUSP)
2º Vice-Presidente Marco Aurelio de Castro Ribeiro (ADUNIMEP)
1º Secretário João da Costa Chaves Junior (ADUNESP)
2ª Secretária Clélia Rejane Antonio (ADUNIFESP)
1ª Tesoureira Soraya Soubhi Smaili (ADUNIFESP)
2º Tesoureiro Rubens Barbosa de Camargo (ADUSP)
   
Regional Sul  
1ª Vice-Presidente Bartira Cabral da Silveira Grandi (APUFSC S.Sind)
2º Vice-Presidente Claudio Antonio Tonegutti (APUFPR)
1º Secretário Sirley Laurindo Ramalho (SINDUTF-PR)
2º Secretário Carlos Henrique Lemos Soares (APUFSC S.Sind)
1º Tesoureiro Denny William da Silva (ADUNICENTRO)
2º Tesoureiro João Francisco Ricardo Kastner Negrão (APUFPR)
   
Regional Rio Grande do Sul  
1ª Vice-Presidente Laura Souza Fonseca (ADUFRGS S.Sind)
2º Vice-Presidente Carlos Alberto da Fonseca Pires (SEDUFSM)
1º Secretário Billy Graeff Bastos (APROFURG)
2º Secretário Elmo Swoboda (APROFURG)
1º Tesoureiro Candido Silveira de Souza (ADUFRGS S.Sind)
2º Tesoureiro Sergio Barum Cassal (ADUFPEL)

Governador Orlando Pessuti autoriza a contratação de Professores para o Ensino Superior Público

O Governador Orlando Pessuti, por meio do Decreto Nº 6841 – 27/04/2010, que dispõe sobre o Plano Bienal de Reposição de Professores Efetivos das IEES para o período de 2010/2011, autorizou a contratação de Professores para o Ensino Superior Público em substituição aos contratos temporários. Confira a tabela abaixo:

ANEXO I  A QUE SE REFERE O DECRETO N0 _6841 /2010

INSTITUIÇÕES ESTADUAIS DE ENSINO SUPERIOR NÚMERO DE PROFESSORES
2010 2011 Total
Universidade Estadual de Londrina – UEL 58 46 104
Universidade Estadual de Maringá – UEM 57 47 104
Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG 36 34 70
Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE 39 35 74
Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO 55 54 109
Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP 15 11 26
Escola de Música e Belas Artes do Paraná – EMBAP 6 5 11
Faculdade de Artes do Paraná – FAP 4 3 7
Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá – FAFIPAR 6 6 12
Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana – FECEA 7 6 13
Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão – FECILCAM 12 8 20
Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de União da Vitória – FAFIUV 15 14 29
Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranavaí – FAFIPA 10 9 19
TOTAL GERAL 320 278 598

Estratégias para a recuperação do salário dos docentes da IES.

Colegas docentes, a luta pela valorização da nossa categoria passa, sem nenhuma dúvida, pela melhoria de nossos salários. Em 2008, conseguimos recuperar parte das perdas salariais acumuladas, por meio da reestruturação da nossa carreira, no entanto os níveis salariais alcançados ainda não são satisfatórios. Após discutir o assunto em Assembléia Geral Extraordinária, em 13/04/2010, nossa diretoria tem empreendido esforços em duas principais ações, apoiar a PEC Nº 17/2010 e discutir a proposta da APIESP que inclui alterações no incentivo titulação (boletim informativo de 15/04/2010). Além disso, na última semana entregamos pessoalmente ofício ao Secretário de Estado, Nildo Lubke, solicitando o agendamento de uma reunião, entre o titular da SETI e as entidades sindicais SESDUEM, ADUNIOESTE, SINDIUEPG, ADUNICENTRO e a ADUEM, para dar continuidade às negociações salariais, que vinham sendo realizadas com a Secretária de Estado que o antecedeu (boletim informativo de 22/04/2010).

A diretoria da SESDUEM, para ampliar a comunicação com os docentes, criou o Blog do SESDUEM. Utilize este espaço e de a sua opinião sobre seguinte tema:

Estratégias para a recomposição das perdas salariais dos docentes da IES. 

Contamos com a sua participação, colabore com as ações do seu sindicato.

2º Congresso Nacional do CONLUTAS e Congresso de Unificação da Classe Trabalhadora

Na última terça (27) os filiados da SESDUEM estiveram reunidos em Assembléia Geral Extraordinária para deliberar sobre a indicação de delegados para participar do 2º  Congresso Nacional do CONLUTAS (3 e 4 de junho) e do Congresso de Unificação da Classe Trabalhadora (5 e 6 de junho).

Histórico: Desde o ano de 2005 o ANDES – SN desfiliou-se da CUT e passou a fazer parte da CONLUTAS. Neste mesmo caminho diversos sindicatos e movimentos sociais afastaram-se da CUT, por entender que essa a histórica central sindical não consegue mais atender aos anseios da classe trabalhadora. No 29 º Congresso do Andes – SN, em janeiro de 2010, foi deliberado pela participação no Congresso de Unificação da Classe Trabalhadora, cujo objetivo é fundir a CONLUTAS, a INTERSINDICAL e outros em uma Central Sindical Classista Ampla, desatrelada do Governo.

Durante a Assembléia, com a participação de 13 filiados foram indicados dois delegados e dois suplentes para participarem dos referidos congressos: Prof. Washington Luiz Felix Santos, Prof. Paulo Roberto Paraíso e, como suplentes, Prof. Cid Marcos Gonçalves Andrade e o Prof. Henrique Radomanski.

ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CARREIRA ACADÊMICA

ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CARREIRA ACADÊMICA

 

Luciano Gonsalves Costa

A carreira do Magistério Público do Ensino Superior do Paraná é disciplinada pela Lei Estadual no. 11.713/1997, que estrutura os cargos de Professor em 5 classes e, respeitada a titulação, estabelece para os integrantes de cada uma delas como atribuições mínimas: 1) Professor Auxiliar: exercício das atividades de ensino, participação em pesquisa ou extensão, seleção e orientação de monitores e de monografias de graduação e participação na gestão acadêmica/administrativa; 2) Professor Assistente: além de atribuições do Professor Auxiliar, atividades de ensino em pós-graduação lato sensu, elaboração/coordenação de projetos de pesquisa ou de extensão; orientação na pós-graduação lato sensu ou de iniciação científica ou aperfeiçoamento e participação em banca de concurso para Professor Auxiliar; 3) Professor Adjunto: além de atribuições do Professor Assistente, atividades de ensino em pós-graduação stricto sensu, coordenação de projetos de pesquisa, orientação na pós-graduação stricto sensu, participação em banca de concurso para Professor Assistente; 4) Professor Associado: além de atribuições do Professor Adjunto, consolidação de linha de pesquisa e elaboração de proposta teórico-metodológica em sua área de conhecimento, participação em banca de concurso para Professor Adjunto e atividades de pós-graduação; 5) Professor Titular: além de atribuições do Professor Associado, coordenação de pesquisa e desempenho acadêmico de grupos de produção de conhecimento e participação em banca de concurso para Professor Associado e Titular.

A valoração numérica dessas atividades constitui um conjunto de indicadores de produtividade que serve para aferir o desempenho individual. E o acesso aos níveis dentro das classes, quando for o caso, está condicionado ao preenchimento de requisitos estabelecidos nos regulamentos de progressão docente próprios de cada instituição, que ponderam esses índices.

Nesse contexto, tendo em vista a retomada do exame do regulamento de progressão docente vigente na UEM, este é um momento apropriado para a reflexão sobre o necessário aprimoramento da maneira de introduzir no regulamento características fundamentais de uma carreira acadêmica.

Em resumo, diferentes pontos de vistas indicam que a compreensão da realidade institucional não pode ser desconsiderada como ponto de partida. De modo semelhante, que o procedimento de valoração tenha de equiparar ações de ensino e de extensão com as de pesquisa, contribuindo para a indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão na forma da diversificação das atividades. E que é indispensável incentivar a autonomia docente, ao mesmo tempo, recompensar adequadamente aquilo que for realizado além do mínimo.

No que se refere ao exercício de funções administrativas, por tratar-se de algo transitório, deve existir, apenas, uma compensação daquilo que deixou de ser computado referente ao encargo didático/acadêmico que ficou prejudicado pela permanência no cargo, mas sem supervaloração. E, não somente para a situação específica de envolvimento com gestão, é preferível estabelecer limites na pontuação de determinadas atividades do que excluí-las, uma vez que são necessárias e não deixarão de existir.

Para além dessa síntese, é possível perceber a partir da problemática em análise que a interação entre ensino, pesquisa e extensão não ocorre com facilidade. O cotidiano institucional revela a dimensão do desafio da integração dessas dimensões da missão institucional –são exemplos disto a constatação da separação entre docência e pesquisa, ou graduação e pós-graduação. E considerando que essas dimensões são complementares, lembremo-nos que, por um lado, compete à pós-graduação capacitar docentes tanto para a pesquisa como para o magistério superior, e, por outro, que a indissociabilidade desejada ficará igualmente prejudicada se um professor não realizar pesquisas ou extensão em algum momento de suas atividades.

Também nessa perspectiva de compreender melhor a situação em que se encontra a indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão, existem outros fatos a serem ressaltados.

É necessário manter o otimismo inicial pela carreira universitária, especialmente daqueles recém-contratados e dos recém-doutores, evitando-se a manifestação de comodismo, estagnação ou frustração. O incentivo à adoção de condutas mais independentes, visando uma progressiva autonomia intelectual e profissional, é um dos fatores determinantes para a busca por ascensão profissional, bem como para a sustentabilidade institucional. Relações altamente hierarquizadas são prejudiciais à liberdade de iniciativa que lhes é essencial na construção da identidade profissional, podendo motivar isolamento ou rejeições. O que sugere aperfeiçoamento da maneira de constituição de grupos e da articulação de profissionais atualmente existentes na instituição.

Finalmente, devemos aproveitar o momento para lançar reflexões sobre os limites e possibilidades de uma carreira acadêmica, apontando novas prioridades, criando oportunidades, e restaurando o entusiasmo pela universidade.